Database release:
SDF
NATURA 2000 - STANDARD DATA FORM

For Special Protection Areas (SPA),
Proposed Sites for Community Importance (pSCI),
Sites of Community Importance (SCI) and
for Special Areas of Conservation (SAC)

TABLE OF CONTENTS

1. SITE IDENTIFICATION

Back to top

1.1 Type

A

1.2 Site code

PTZPE0029

1.3 Site name

Ilhéu de Baixo - Ilha Graciosa

1.4 First Compilation date

1999-03

1.5 Update date

2015-11

1.6 Respondent:

Name/Organisation:- Direção Regional do Ambiente; - Direção Regional dos Assuntos do Mar
Address:               
Email:- DRA: info.dra@azores.gov.pt; - DRAM: info.dram@azores.gov.pt

1.7 Site indication and designation / classification dates

Date site classified as SPA:1990-03
National legal reference of SPA designationDecreto Regulamentar Regional n.o 24/2004/A, de 1 de Julho

2. SITE LOCATION

Back to top

2.1 Site-centre location [decimal degrees]:

Longitude:-27.950000
Latitude:39.000000

2.2 Area [ha]

32.0900

2.3 Marine area [%]

0.0000

2.4 Sitelength [km]:

0.00

2.5 Administrative region code and name

NUTS level 2 code Region Name
PT20Região Autónoma dos Açores

2.6 Biogeographical Region(s)

Macaronesian (100.00 %)

3. ECOLOGICAL INFORMATION

Back to top

3.1 Habitat types present on the site and assessment for them

Annex I Habitat types Site assessment
Code PF NP Cover [ha] Cave [number] Data quality A|B|C|D A|B|C
      RepresentativityRelative SurfaceConservationGlobal
1210  info      0.00 
1220  info      8.005  0.00 
1250  info      28.604  0.00 
  • PF: for the habitat types that can have a non-priority as well as a priority form (6210, 7130, 9430) enter "X" in the column PF to indicate the priority form.
  • NP: in case that a habitat type no longer exists in the site enter: x (optional)
  • Cover: decimal values can be entered
  • Caves: for habitat types 8310, 8330 (caves) enter the number of caves if estimated surface is not available.
  • Data quality: G = 'Good' (e.g. based on surveys); M = 'Moderate' (e.g. based on partial data with some extrapolation); P = 'Poor' (e.g. rough estimation)

3.2 Species referred to in Article 4 of Directive 2009/147/EC and listed in Annex II of Directive 92/43/EEC and site evaluation for them

Species Population in the site Site assessment
G Code Scientific Name S NP T Size Unit Cat. D.qual. A|B|C|D A|B|C
      MinMax  Pop.Con.Iso.Glo.
BA028Ardea cinerea           
BA169Arenaria interpres           
P1755Azorina vidalii                       
BA387Bulweria bulwerii    10     
BA144Calidris alba           
BA010Calonectris diomedea    5271  5271     
BA138Charadrius alexandrinus           
BA026Egretta garzetta           
P1624Erica scoparia ssp. azorica                       
BA187Larus marinus           
BA179Larus ridibundus           
BA158Numenius phaeopus           
BA390Oceanodroma castro    300  300     
BA386Pterodroma feae                 
BA388Puffinus assimilis    50  50     
P1471Spergularia azorica                       
BA192Sterna dougallii       
BA193Sterna hirundo    61  61     
  • Group: A = Amphibians, B = Birds, F = Fish, I = Invertebrates, M = Mammals, P = Plants, R = Reptiles
  • S: in case that the data on species are sensitive and therefore have to be blocked for any public access enter: yes
  • NP: in case that a species is no longer present in the site enter: x (optional)
  • Type: p = permanent, r = reproducing, c = concentration, w = wintering (for plant and non-migratory species use permanent)
  • Unit: i = individuals, p = pairs or other units according to the Standard list of population units and codes in accordance with Article 12 and 17 reporting (see reference portal)
  • Abundance categories (Cat.): C = common, R = rare, V = very rare, P = present - to fill if data are deficient (DD) or in addition to population size information
  • Data quality: G = 'Good' (e.g. based on surveys); M = 'Moderate' (e.g. based on partial data with some extrapolation); P = 'Poor' (e.g. rough estimation); VP = 'Very poor' (use this category only, if not even a rough estimation of the population size can be made, in this case the fields for population size can remain empty, but the field "Abundance categories" has to be filled in)

3.3 Other important species of flora and fauna (optional)

Species

Population in the site

Motivation

Group CODE Scientific Name S NP Size Unit Cat. Species Annex Other categories
     MinMax C|R|V|PIVVABCD
Asplenium marinum                     
A364Carduelis carduelis                     
Chrithum maritimum                     
A206Columba livia                     
Euphorbia azorica                     
Festuca petraea                     
A657Fringilla coelebs all others                   
A459Larus cachinnans                   
Morella faya                     
A261Motacilla cinerea                   
2015Nyctalus azoreum               
A630Oceanodroma monteiroi                   
A450Serinus canaria                   
Solidago sempervirens                     
A351Sturnus vulgaris                     
A311Sylvia atricapilla                   
A283Turdus merula                   
  • Group: A = Amphibians, B = Birds, F = Fish, Fu = Fungi, I = Invertebrates, L = Lichens, M = Mammals, P = Plants, R = Reptiles
  • CODE: for Birds, Annex IV and V species the code as provided in the reference portal should be used in addition to the scientific name
  • S: in case that the data on species are sensitive and therefore have to be blocked for any public access enter: yes
  • NP: in case that a species is no longer present in the site enter: x (optional)
  • Unit: i = individuals, p = pairs or other units according to the standard list of population units and codes in accordance with Article 12 and 17 reporting, (see reference portal)
  • Cat.: Abundance categories: C = common, R = rare, V = very rare, P = present
  • Motivation categories: IV, V: Annex Species (Habitats Directive), A: National Red List data; B: Endemics; C: International Conventions; D: other reasons

4. SITE DESCRIPTION

Back to top

4.1 General site character

Habitat class % Cover
N0597.00
N211.00
N151.00
N231.00

Total Habitat Cover

100

Other Site Characteristics

Resultante da erosão de antigos vulcões, abrigando no alto das falésias importantes comunidades de plantas costeiras. Os fundos marinhos pouco profundos e existem pequenas baías e pequenos rochedos emersos, além de dois ilhéus. O Ilhéu de Baixo fica distanciado da costa da Restinga, a cerca de meia milha, e é o resultado do desmantelamento pela abrasão marinha de um pequeno aparelho vulcânico. Toda a costa da Restinga é muito escarpada e íngreme. O fundo desta área caracteriza-sepor possuir aglomerados de blocos de rocha de tamanhos diversificados quer sobre fundo de areia quer leito rochoso (laje). Existem grutas e arcos de tamanhos e amplitude diversos. Na zona da Restinga existem algumas arribas submarinas, que seprolongam em profundidade até cerca dos 20 m, onde a paisagem do fundo é predominantemente composta por blocos de rocha. A costa da Restinga é formada por materiais de projeção com alguns veios de complexo basáltico. Esta rocha vulcânica domina toda a zona da Ponta da Restinga. O Ilhéu de Baixo é maioritariamente formado por um cone de escórias, tendo toda a sua face sudoeste orlada por andesitos. Existência também uma nascente de água termal na linha costeira (zona termal no Carapacho).

4.2 Quality and importance

A pouca influência humana e a importante comunidade de plantas constituem os principais fatores para a nidificação de aves marinhas.

4.3 Threats, pressures and activities with impacts on the site

The most important impacts and activities with high effect on the site

Negative Impacts
RankThreats and pressures [code]Pollution (optional) [code]inside/outside [i|o|b]
LF02o
MF02.03o
LF06i
MG05b
MI01i
MK01.01i
MK03.04i
Positive Impacts
RankActivities, management [code]Pollution (optional) [code]inside/outside [i|o|b]

Rank: H = high, M = medium, L = low
Pollution: N = Nitrogen input, P = Phosphor/Phosphate input, A = Acid input/acidification,
T = toxic inorganic chemicals, O = toxic organic chemicals, X = Mixed pollutions
i = inside, o = outside, b = both

4.5 Documentation

1. Bannerman, D.A., Bannerman, W.M., 1966.- Birds of the Atlantic Islands, Vol.III. A history of the birds of the Azores. 2.Borges, P.A.V., Costa, A., Cunha, R., Gabriel, R., Gonçalves, V., Martins, A.F., Melo, I., Parente, M., Raposeiro, P., Rodrigues, P., Santos, R.S., Silva, L., Vieira, V. (Eds.) (2010). A list of the terrestrial and marine biota from Azores. Princípia, Cascais, 432 pp. 3. Cabral MJ (coord.), Almeida J, Almeida PR, Dellinger T, Ferrand de Almeida N, Oliveira ME, Palmeirim JM, Queiroz AI, Rogado L & Santos-Reis M (eds.) (2005). Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal. Instituto da Conservação da Natureza. Lisboa. 4. Direção Regional do Ambiente (2004). Plano Sectorial para a Rede Natura 2000 na Região Autónoma dos Açores. Ponta Delgada. Outubro de 2004. 5. DIAS, Eduardo; Mendes, Cândida; Melo,Cecília; Pereira, Dinis; Elias, Rui; Santos, Eunice; Elias, Sónia (2004). Plano Global de Gestão para a Rede NATURA 2000 – Açores – Áreas Terrestres. Gabinete de Ecologia Vegetal e Aplicada. Departamento de Ciências Agrárias. Universidade dos Açores. 6 DIAS, E. (1996). Vegetação Natural dos Açores - Ecologia e Sintaxonomia das florestas Naturais. Tese de doutoramento. Universidade dos Açores. Departamento de Ciências Agrárias. Angra do Heroísmo.7. Meirinho, A., M. C. Magalhães & M. Pitta Groz (2004). Proposta de Plano de Gestão para a Zona de Proteção Especial Ilhéu de Baixo. Arquivos do DOP. Série Estudos, nº 7/2004, 43 p. 8.Monteiro LR, Ramos J.A, Furnen RW (1996). Past and Present Status and Conservation of the seabirds breeding in the Azores archipelago. Biological Conservation 78: 319-328. 9. Oliver E Boyd, Edinburgh Oliver E Boyd, Edinburgh. Le Grand, G. 1983. "Checklist of Birds of the Azores" Arquipélago IV : 49-58. Universidade dos Açores. 10. Sjogren, E. 1973. "Recent changes in the vascular flora and vegetation of the Azores islands." Mem. Soc. Botan. 22: 1-453.

5. SITE PROTECTION STATUS

Back to top

5.1 Designation types at national and regional level:

Code Cover [%]
PT1566.00
PT0731.00

5.2 Relation of the described site with other sites:

Designated at national or regional level:

Type code Site name Type Cover [%]
PT15Ponta da Restinga*66.00
PT07Ilhéu de Baixo*31.00

Designated at international level:

Type Site name Type Cover [%]
Other Ponta da Restinga*66.00
Ilhéu de Baixo*31.00

5.3 Site designation (optional)

A ZPE é, na sua globalidade, abrangida pela ZEC Ilhéu de Baixo, Restinga

6. SITE MANAGEMENT

Back to top

6.1 Body(ies) responsible for the site management:

Organisation:- Direção Regional do Ambiente - Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente
Address:
Email:- Direção Regional do Ambiente: info.dra@azores.gov.pt

6.2 Management Plan(s):

An actual management plan does exist:

Yes
No, but in preparation
X
No

6.3 Conservation measures (optional)

Medidas legais e administrativas: Plano Sectorial da Rede Natura 2000 - Decreto Legislativo Regional n.º 20/2006/A, de 6 de junho, alterado pela Declaração de Retificação n.º 48-A/2006, de 7 de agosto, e pelo Decreto Legislativo Regional n.º 7/2007/A, de 10 de abril; Decreto Legislativo Regional n.º 45/2008/A, de 5 de novembro, que cria o Parque Natural da Ilha Graciosa; Regime jurídico da conservação da natureza e da biodiversidade estabelecido pelo Decreto Legislativo Regional nº 15/2012/A, de 2 de abril; Plano de Ordenamento da Orla Costeira da Ilha Graciosa aprovado e publicado pelo Decreto Regulamentar Regional nº 13/2008/A, de 25 de junho. - Condicionamento ao exercício da atividade cinegética; - Condicionamento às ações que provoquem alterações dos níveis de ruído e poluição sonora, nomeadamente as decorrentes da permanência de embarcações, da navegação a motor e realização de competições náuticas desportivas nas zonas marinhas em torno das colónias de aves; - Condicionamento à acostagem de quaisquer tipos de embarcações, o desembarque e permanência; - Condicionamento à colheita, captura, abate ou detenção de organismos sujeitos a medidas de proteção, em qualquer fase do seu ciclo biológico, incluindo a destruição de ninhos e a apanha de ovos, a perturbação ou a destruição dos seus habitats; - Condicionamento à introdução de espécies zoológicas e botânicas invasoras ou não características das formações e associações naturais existentes, nomeadamente plantas e animais exóticos; - Condicionamento ao depósito de resíduos; - Condicionamento à exploração e extração de massas minerais e a instalação de novas explorações de recursos geológicos; - Condicionamento às ações antrópicas com impacte ao nível da estabilidade e taxas de erosão das falésias; - Condicionamento à realização de quaisquer atividades que perturbem o equilíbrio da envolvente. - Condicionamento à realização de eventos culturais e desportivos; - Condicionamento à realização de trabalhos de investigação e divulgação científica, ações de monitorização, recuperação, reabilitação paisagística, geomorfológica e ecológica e sensibilização ambiental, bem como ações de salvaguarda dos valores naturais e de conservação da natureza; - Condicionamento à construção e alargamento de acessos; - Condicionamento à reintrodução de espécies da flora indígena; - Condicionamento às intervenções nas linhas de água; - Condicionamento à construção e instalação de infraestruturas; - Condicionamento à alteração do coberto vegetal; - Condicionamento ao corte de vegetação arbórea ou arbustiva; - Condicionamento à circulação fora dos trilhos e caminhos estabelecidos; - Condicionamento à realização de ações de controlo de espécies vegetais exóticas; - Condicionamento à realização de ações de gestão das comunidades de predadores terrestres ; - Condicionamento ao combate, por qualquer modo, a espécies infestantes e pragas;

 

7. MAP OF THE SITE

Back to top
INSPIRE ID:
Map delivered as PDF in electronic format (optional)
Yes
No

SITE DISPLAY